O Novo Ministro da Cultura Marcelo Calero,  promete uma gestão conciliadora e eficiente. Conciliação é o que mais precisamos em nossa área cultural tão dividida, efeito da desastrosa gestão de Juca Ferreira frente ao MinC. A eficiência, Marcelo Calero já começou a mostrar, conseguindo um aporte imediato de R$ 250 milhões para saldar o rombo deixado por seu antecessor, com prêmios e editais não pagos desde 2015.

A cerimônia de posse do novo ministro foi prestigiada por representantes de grande parcela do mundo cultural, demonstrando a esperança de dias mais harmoniosos e produtivos na relação entre produtores culturais e o MinC. Ex secretário de cultura do Rio de Janeiro, diplomata de carreira, demonstra ter todas as competências para liderar o Minc nesse momento. Com um discurso conciliador, porém determinado, deixou boa impressão no público presente à cerimônia de sua posse. "O partido da Cultura é a CULTURA", disse, revelando sua intenção de despolitizar a gestão da cultura. Música para os ouvidos de produtores que vem sofrendo há anos, um enorme patrulhamento ideológico.